Latino-Poemas
¡Regístrese Ahora!     Conectarse

Consultar

Otros

Usuarios conectados

36 usuario(s) en línea (21 usuario(s) navegando Poemas y prosas)

Registrados: 0
Invitados: 36

más ....

Licencia

Licencia Creative Commons
Poemas -> Introspectíon : 

Escrita vaga

 





Não sei o que escrevo. As palavras
Saem de mim em linhas irregulares.
As palavras moldam o meu ser sem
Nenhum capricho, as palavras ferem
Os sentimentos que crescem sutilmente.


A palavra me incomoda, me engole,
Eu não sei o que a escrita é.
Seria um sonho lúcido? Uma viagem plástica?
Mistura de artes? Ilusões que deviam ser apagadas?

A palavra não me desperta em tudo,
O que me desperta é apenas o sentir
Da palavra amaciada, da palavra educada
Em doces sinfonias...

Mesmo assim essa palavra ainda
Não me deixa atordoado, quebrantado,
Mas ainda assim essa palavra me chama
Nos dias do puro silêncio.

Poeta
lud
Poeta lud
Poemas del mismo poetaMás poemas
Rss del poetaRss del poeta
EstadísticasEstadísticas
 
Poema
Fecha 10/8/2018 11:51:42
Lecturas 65
Favoritos 0
Licencia Licencia Creative Commons
Enviar a un amigoEnviar
Versión imprimibleImprimir
Crea un documento PDF con el poemaCrear un pdf
Recientes
Haikai 610
Haikai 609
Haikai 608
Haikai 607
Haikai 606
Al azar
Saturno/Sócrates
Dança e Música
Shakespeare
Haikai 330
Enzo Hohenstaufen
Los usuarios son responsables de sus propios comentarios.

Etiquetas

Login

Nombre:

Contraseña:

Recordar



¿Recuperar la contraseña?

Regístrese

Comentarios recientes

Poemas más leídos recientemente

A Irregularidade do ato
AJCardiais
16/10/2018 15:45:26
O meu coração
AJCardiais
30/9/2018 23:28:22
A nobreza de quem sabe sofrer
AJCardiais
29/12/2018 11:56:18
Erudição
AJCardiais
25/4/2019 18:46:46
Experimentação ou possibilidades
AJCardiais
10/6/2012 18:06:56
Outono/inverno
AJCardiais
24/5/2019 20:37:29
Obrigado Poeta
AJCardiais
4/11/2012 14:43:13
Inspiração à deriva
AJCardiais
14/5/2019 10:22:29
Uma história de fezes (Fé, no plural)
AJCardiais
11/2/2016 19:45:20
MI PUEBLO
necoperata
3/11/2012 3:34:26